Posts tagged ‘folheteria’

Automação dos processos de marketing

A automação de processos de marketing é uma realidade para poucas empresas, porém isso deve durar pouco, pois os benefícios são muitos.

Estamos em fase final de realização de uma pesquisa que avaliou até o momento seis empresas de grande porte com forte atividade de comunicação promocional por meio de material impresso, a chamada folheteria.

O objetivo da pesquisa é identificar como grandes empresas que utilizam intensivamente a folheteria se organizam internamente. Partimos da hipótese que os departamentos de marketing apesar de se colocarem na vanguarda da criatividade e inovação, quando o assunto é gestão, ficam nas últimas colocações.

O mercado de tecnologia por sua vez não fornece abundantemente ferramentas necessárias para a automação dos processos de marketing, mas já existem soluções que foram capazes de mudar positivamente rotinas e resultados de grandes empresas.

Os resultados são impressionantes: há reduções de custos operacionais, economias com uso de materiais como o papel principalmente, redução do tempo de preparação (60 contra 20 dias em alguns casos).

Os erros desapareceram. Quantos não são os casos de prejuízos com precificação errada ou trocada com outros produtos? Recentemente, uma grande rede de lojas virou notícia na TV ao publicar seu folheto promocional com um preço errado. O fato provocou uma corrida de clientes às lojas e uma enxurrada de reclamações.

Mas, não satisfeitas com apenas reduções de custos, as empresas que lideram esse tipo de iniciativa alcançam muitos ganhos. O principal é o aumento da atividade promocional. Tornou-se possível aumentar a produção! O número de publicações aumentou em volume, variedade e freqüência ao mesmo tempo em que a equipe diminuiu.

Isso se torna mais evidente quando a terceirização é a opção da empresa. Nesse caso o fornecedor de soluções tecnológicas estende os seus serviços e transfere para o endereço do seu cliente parte da própria equipe que se encarrega em receber as informações, preparar a diagramação, finalizar e enviar para as gráficas via email sem riscos de quebra de confidencialidade e com muita rapidez, para qualquer lugar inclusive outros países da América Latina.

Até a próxima!
Ricardo Pastore

Anúncios

19 de novembro de 2009 at 17:00 Deixe um comentário

O Futuro da Comunicação de Varejo

Apesar do avanço tecnológico verificado na operação varejista, não podemos afirmar que tal avanço tenha chegado ao Departamento de Marketing, principalmente no que tange a produção da folheteria, termo técnico para o que conhecemos como tablóides, panfletos, lâminas, etc.

A preparação de um folheto de ofertas é hoje, na maioria dos casos, muito informal sem processos bem controlados e que coloca em risco justamente o Departamento de Marketing que fica no meio entre quem fornece as informações de produtos e preços e quem vai produzir.

Podemos antever que em breve softwares fabricarão folhetos a partir da seleção de produtos, imagens, preços, diagramando e enviando em seguida para a gráfica.

Num passo seguinte esse software enviará tais anúncios diretamente para os clientes da loja, automatizando assim a produção de folheteria, hoje a de maior volume na atividade varejista.

Vamos explorar mais este assunto a partir dos resultados de uma pesquisa que estamos desenvolvendo no Núcleo de Varejo da ESPM, cujos resultados auxiliarão as empresas varejistas a reverem suas rotinas e processos dos deptos de marketing.

Autor: Ricardo Pastore
Sócio do Growbiz Group, Coordenador e Prof. do Núcleo de Estudos do Varejo da ESPM.
Ricardo Pastore

12 de novembro de 2009 at 9:00 Deixe um comentário

Automação dos processos de marketing

Paradoxalmente às inovações que promovem em produtos, serviços e idéias em geral, os departamentos de marketing das empresas varejistas colocam-se na pré-história quando o assunto chega a seus processos internos.

A maioria das empresas varejistas está bem atrás de seus pares, os outros departamentos da empresa como o comercial, o financeiro e o de operações. Todos esses trabalham com apoio de modernos softwares de automação comercial ou algo próximo a um ERP para empresas varejistas.

Enquanto os processos de outras áreas são bem definidos e com margem baixa de falha nas informações, a área de marketing opera de forma manual e insegura devido aos constantes retrabalhos de informações.

Ou seja, a tecnologia evoluiu, mas custa a chegar à área de marketing para organizar processos e aumentar a produtividade. Minha constatação vem de uma pesquisa que realizamos no primeiro semestre deste ano com diversas empresas varejistas. Em quase todas ainda é comum trabalharem até altas horas da noite ou avançar pelo final de semana para garantirem a entrega de anúncios nas gráficas.

Essa pesquisa a qual me refiro partiu da hipótese de haviam muitos processos manuais durante a elaboração da principal atividade promocional do varejo: o tablóide de ofertas. Trata-se de uma operação gigantesca, envolve milhões de reais, diversos profissionais de todos os níveis e entrega ao mercado o bem mais valioso da empresa que é a sua imagem estampada em papel.

Os resultados não só confirmaram nossa hipótese como apresentou informações que acentuavam nossa preocupação justificada pela preocupação acadêmica em formar melhores alunos, preparados para enfrentar a realidade e, a partir de uma nova visão, atuar para mudar a realidade e fazer a diferença. Pelo lado da consultoria, passar aos nossos clientes soluções inovadoras capazes de queimar etapas e proporcionar ganhos em produtividade e qualidade.

Entrando um pouco mais nos detalhes, a elaboração de um tablóide de ofertas, desses que recebemos em casa ou que são encartados nos principais jornais do país tem início entre 45 a 60 dias antes do inicio da promoção e segue rigorosamente um planejamento anual chamado calendário promocional.

O departamento comercial encarregado em negociar com fornecedores, repor estoques e identificar oportunidades, define os produtos que quer anunciar e informa sua decisão ao departamento de marketing. Esse processo na maioria de suas vezes já é feito de forma manual. Os produtos são digitados em um email ou em planilhas Excel ou Word mesmo fazendo parte de um banco de dados chamado cadastro de produtos. Começam os riscos de ocorrência de erros como troca de descrição de nomes de produtos com códigos de outros.

A coisa de agrava quando ocorrem atrasos desde esta etapa inicial do processo. Um cronograma controla cada fase da preparação de um tablóide. Muitos compradores acabam atrasando por problemas diversos, mas provoca uma grande preocupação no pessoal de marketing que fica no meio, entre quem informa e quem produz: as gráficas.

Ao receber as informações sobre quais produtos serão anunciados, o marketing corre atrás das imagens e são poucas empresas que tem um banco de imagens organizado. Se falarmos então em um banco de imagens desenvolvidas e tratadas pela própria empresa, ai então da para contar nos dedos. As imagens dos produtos anunciados são normalmente cedidas pelos fabricantes dos produtos. Nem sempre são adequadas para uso nos tablóides.

Aqui ocorre outro ponto critico: identificar produto com sua respectiva imagem. Também é uma etapa que depende das pessoas e os erros podem acontecer. Ou mesmo que não aconteçam imaginem quantos funcionários são envolvidos para minimizar as possibilidades de erros? Quantas revisões são realizadas para evitar que um produto seja anunciado de maneira errada e cause prejuízos nas lojas?

Juntando as duas coisas – descrição de produto e imagem, é perfeitamente possível pensar na possibilidade de haver algum tipo de tecnologia que vá buscar em bancos de dados a descrição de um produto com sua correspondente imagem sem ter que digitar novamente e providenciar novas fotos com fotógrafos instalados em estúdios com custos altíssimos.

O uso da tecnologia além de minimizar erros, otimizar processos e recursos, vai reduzir drasticamente o tempo de produção dos tablóides, beneficiando quem negocia por colocar a promoção na rua em um prazo mais curto. Isso é o chamado “time to market”.

Em nossa palestra sobre o marketing do futuro, transformando do PDV em PDR, encerramos dizendo que no futuro softwares fabricarão anúncios, selecionarão ofertas, diagramarão peças promocionais para enfim enviarem aos clientes identificados como consumidores em potencial para aquelas ofertas.

Acho que falta pouco para isso. Em nossa pesquisa também identificamos ferramentas que começam a chegar ao mercado. As próprias empresas pesquisadas são conscientes dos problemas que relatamos aqui de forma bastante reduzida. Elas vivem na pela as dificuldades e estão atentas às necessidades de mudança pois são administradas por gestores competentes e com excelente formação profissional e acadêmica. Mas como o assunto ainda é muito novo, todos vivem essa mudança em movimento.

Estamos diante de mais uma grande fase de mudanças trazidas pela tecnologia, desta vez nas estruturas internas do departamento de marketing das empresas varejistas. Todos ganhamos com isso. Até a próxima!
Ricardo Pastore

5 de novembro de 2009 at 17:00 Deixe um comentário


Posts recentes

Siga a GrowBiz no Twitter

Feeds