Posts tagged ‘mudanças’

NRF Big Show 2010

Com o término do NRF Big Show 2010, algumas coisas garantem seu espaço no design estrategico do varejo.

Vou falar da crise mas vou deixar para o final pois se para os americanos o impacto eh negativo, para o Brasil será positivo.

Começo pelas redes sociais. Seu impacto no varejo eh imediato afinal trata-se de uma nova modalidade de comunicacao interativa.

O desafio para os varejistas será incentivar o uso por seus funcionarios. Um gte de loja deve ser incentivado a usar o twitter para se relacionar com pessoas da comunidade próxima a loja.

O varejo multicanal eh outro tema que promete muitas modificações afinal está claro que os consumidores enxergam a empresa como um todo, não importa que seja como loja física ou virtual. Uma pesquisa muito interessante foi apresentada sobre o tema.

Quanto a crise, o estrago foi grande. Algumas fontes da indústria dos Shoppings Centers afirmam que dificilmente surgirão novas construcoes nos próximos dois anos. Como consequencia, muitos investidores migrarão seus negócios para o Brasil e isso será muito positivo para todos nos, mesmo que signifique chegada de novos concorrentes para alguns.

Como sempre, a NRF proporciona boas oportunidades de obtermos novos mas sobrrtudo ajuda-nos a ter novos insights que nos auxiliarão a inovar em nossos negócios.

 Ricardo Pastore.

27 de janeiro de 2010 at 12:42 Deixe um comentário

Ser grande e o que mais?

Há de fato uma grande expectativa de expansão para a indústria do varejo em 2010. Diante deste cenário, cabe perguntar o que as empresas varejistas nacionais pensam diante da perspectiva de crescimento?

Diante desta expectativa a empresa varejista deve almejar não apenas o crescimento numérico e geográfico, mas também o de imagem de líder. Isso é importante para futuras disputas entre aqueles que apenas cresceram e outros que, além de crescer agregam valor ao cliente.

A imagem de liderança é construída por empresas que participam do mercado de maneira proativa, engajando-se em questões que muitas vezes superam sua posição meramente comercial. O consumidor pede mais. Ele quer saber o que se passa dentro da empresa, quais seus pensamentos para o futuro e como se posiciona diante de assuntos diversos.

Liderar em tamanho não basta! Temos que construir um varejo líder em idéias para podermos enfrentar as novidades que vêm de fora. Espalhar lojas pelas cidades brasileiras significa levar produtos, serviços, atitude de colaboração e ajuda àquela localidade de alguma maneira. Pagar impostos e gerar empregos é obrigação. Oferecer descontos e preço baixo está ficando cada vez mais comum. Como diferenciar-se?

À medida que sue empresa for reconhecida pelos consumidores como aquela que agrega mais valor, merecerá a preferência destes. Porém se sua loja for escolhida por falta de alternativas, os clientes migrarão assim que houver novas oportunidades.

A partir deste ano, com o final da crise global e diante de uma nova fase de expansão, estaremos diante de um consumidor disposto a gastar mais sim, entretanto desde que perceba valor em seu gasto. Está na hora, portanto de investir mais na geração de valor, crescer qualitativamente, liderar pelas idéias e garantir a longevidade para suas lojas.

RICARDO PASTORE.

6 de janeiro de 2010 at 16:27 Deixe um comentário

Apenas 41% das empresas têm planejamento estratégico

por FinancialWeb
08/12/2009

Deste total, apenas 32% das companhias discutem estratégias em reunião com equipes

Mesmo tendo um mapa estratégico definido, as organizações apresentam dificuldades em realizar reuniões em que a própria estratégia é a principal pauta. Segundo levantamento da consultoria 3GEN, apenas 41% das companhias possuem um guide line estruturado.

De acordo com o estudo, 32% das empresas que têm mapa definido ainda não realizam reuniões de gestão estratégica. Já outros 35%, apesar de realizarem tais conferências, não o fazem de forma sistemática.

“A maioria das organizações que acreditam ter um modelo de gestão estratégica capaz de mantê-las em linha com a evolução da performance, na verdade subutilizam o modelo não avaliando continuamente o desempenho”, analisou a empresa por meio de nota à imprensa. “Embora seja inegável a importância do planejamento estratégico, o desafio está de fato na construção de um processo de gestão que viabilize a sua execução”, explicou.

Do total, apenas 37% das companhias têm um modelo de gestão estratégica desenvolvido parcial ou totalmente. Em relação à comunicação, fator primordial para a execução do planejamento, o estudo mostra que das organizações que têm mapa estratégico, 26% o comunicam de forma sistemática, enquanto 44% não o fazem com freqüência.

Já entre as organizações que não possuem mapa, somente 4% comunicam sistematicamente a estratégia, contra 71% que divulgam parcialmente.

Artigo de FinancialWeb, postado

10 de dezembro de 2009 at 17:18 Deixe um comentário

Ricardo Pastore fala à Globo News sobre a fusão entre Pão de Açúcar e Casas Bahia.

Ricardo Pastore, sócio da GrowBiz e Coordenador do Núcleo de Estudos do Varejo da ESPM, fala em entrevista à Globo News sobre os possíveis impactos, no varejo brasileiro, da compra das Casas Bahia pelo Grupo Pão de Açúcar.

Continue Reading 7 de dezembro de 2009 at 19:29 Deixe um comentário

Ricardo Pastore fala de Marketing de Varejo ao HSM Podcasting

Ricardo Pastore, sócio da GrowBiz e Coordenador do Núcleo de Estudos do Varejo da ESPM, falou sobre Marketing para o Varejo ao HSM Podcasting durante a Expo Management 2009.

Continue Reading 4 de dezembro de 2009 at 13:06 Deixe um comentário

Última chance para participar da Convenção da NRF 2010

No Brasil, independente do ramo ou produto, mais de 80% das decisões de compra são tomadas pelo consumidor no ponto de venda. Por isso, ter seus produtos no ponto certo, com o layout certo, as cores certas, o visual merchandising certo, não é apenas bom para a maioria das empresas. É fundamental!!! Pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso. Ou entre um sucesso mais ou menos e o sucesso retumbante. Afinal, faturar é preciso. Lucrar, idem. E, para isso, o ponto de venda precisa ser mais do que bonito. Precisa funcionar como uma máquina de vendas.

É esse o foco do grupo que a GrowBiz, em conjunto com a J2B, vai levar para a Convenção Anual da NRF – National Retail Federation, em Nova York, em janeiro de 2010: o DESIGN QUE VENDE.

Se você se interessa por Varejo, clique aqui para conhecer o programa detalhado – inclusive alguns eventos dos quais só quem for do nosso grupo vai poder participar, como, por exemplo, uma palestra fechada com o grande Paco Underhill, especialista em comportamento de consumo e autor do livro “Why We Buy?”.

Atenção: Não levaremos um grupo grande, porque queremos garantir que cada um receberá a atenção especial e individualizada que merece, de acordo com suas necessidades e seus interesses específicos. Restam pouquíssimas vagas!

Leia aqui o artigo de Paco Underhill publicado no Washington Post sobre a necessidade de mudança de foco no faturamento varejista frente às oscilações da economia. (link em inglês)

3 de dezembro de 2009 at 12:58 Deixe um comentário

O Governo vai exigir planejamento da sua empresa

Esta semana ocorreu um evento na Fiesp onde várias entidades e representantes de classes, empresários e governo discutiram sobre a implementação da Nota Fiscal Eletrônica e SPED Contábil e Fiscal. O impacto nas empresas brasileiras será impressionante e a maioria dos empresários ainda não tinha esta visibilidade. Nem todos os segmentos de mercado serão obrigados a aderir, mas a própria cadeia de fornecimento exigirá que seus fornecedores estejam automatizados.

Podemos dizer que o imposto de renda pela Internet foi um dos precursores onde o governo passou a ter acesso instantâneo aos dados podendo fazer validações e cruzamentos, diminuindo assim “erros” dos contribuintes e aumentando a arrecadação. Outro precursor foi o SPB (Sistema de Pagamentos Brasileiro) onde os bancos foram interligados permitindo que o governo fizesse controle instantâneo de todas as transações financeiras.

Agora chegou a vez de controlar as notas fiscais, contabilidade e pagamento de impostos. Tudo será validado e cruzado instantaneamente. Não haverá espaço para “erros” dos contribuintes, “caixa 2” ou qualquer outro artifício. A multa será aplicada instantaneamente.

Já imaginou a vida sem os tais “artifícios” e “criatividades” fiscais, contábeis e tributárias?

Está na hora de repensar a forma de atuação, modelo de negócios, buscando eficiências em todas as áreas da empresa e nos elos da cadeia de valor. Está na hora de montar um planejamento estratégico para aumentar suas vendas e lucro.e ainda encontros desagradáveis com o governo.
Dagoberto Hajjar

26 de novembro de 2009 at 13:00 Deixe um comentário


Posts recentes

Siga a GrowBiz no Twitter

Feeds